• JFS Engenharia e Consultoria

A Motivação não é (só!) sobre você!



A comparação do copo meio cheio e meio vazio para atestar o otimismo das pessoas já é bem conhecida. Na imagem deste post há uma terceira hipótese na qual uma pessoa não olha para a quantidade do líquido que está dentro do copo mas para o tipo de liquido, a qualidade.


Alguns irão dizer que este terceiro ponto de vista é o do alcoólatra ou do farrista que não leva nada a sério. Mas quero aproveitar a brincadeira para chamar sua atenção para outro aspecto... Tanto o pessimista (que vê o copo meio vazio) quanto o otimista (que vê o copo meio cheio) olham para o copo pensando na sua quantidade e em como aquela quantidade irá lhe beneficiar ou prejudicar.


O fato é que a quantidade do copo será a mesma. O que muda é a forma como a pessoa enxerga isso e essa lente é colocada em sua visão de acordo com seus valores. Esta é uma visão egocêntrico, focada não no copo mas em mim e no quanto aquele liquido será suficiente para mim.


A terceira forma de ver o mesmo copo não está focada na quantidade mas na qualidade. Isso significa que, não importa se há muito ou pouco, se há otimismo ou pessimismo. O mais importante é entender e saber o que é e para que serve aquilo. Diante disso poderemos dizer de forma muito mais consciente se o copo está meio cheio ou meio vazio!


Então, diante das situações da vida - especialmente as desfavoráveis - tire o foco de si mesmo! Olhe e analise a situação pensando sempre: “o que é isso e para que isso serve?” À medida em que você amplia sua visão da circunstância e a considera em relação aos outros e não apenas olhando só para o seu umbigo, notará que tudo ganhará outro sentido.


A perspectiva sugerida pela terceira forma de encarar o copo muda o jogo: não se trata de uma visão subjetiva mas de uma análise objetiva e de finalidade. Motivação, portanto, não deve ser apenas um sentimento; mas uma força que brota de uma análise menos egocêntrica, mais ampla, envolvente e objetiva.


Da próxima vez que se sentir desmotivado, pergunte à situação que está te desmotivando: afinal, como isso pode ser corrigido? A quem mais afeta? Para que ela serve? Preciso realmente disso? Assim, você não ficará refém dos seus sentimentos, heranças culturais e circunstâncias pelas quais esteja passando e terá muito mais clareza para dizer se, afinal, o copo está meio cheio ou meio vazio.


Aqui na JFS, a engenharia influencia nosso modo de ver as circunstâncias já que, claro, todos nós aqui somos deste campo do conhecimento. Para nós, a análise minuciosa e cuidadosa dos projetos nos dá clareza suficiente para gerar qualidade em todos os processos. Esta reflexão tem muito a ver com nosso sistema de trabalho onde não predominam as opiniões subjetivas mas foco nos elementos e objetos reais e calcados na ciência. Com isso, evitamos os erros e entregamos o máximo em resultados.


Se quiser saber mais, consulte-nos.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo